Combate à dengue, no contexto da pandemia




Surtos de dengue são parte do cotidiano de milhares de brasileiros, por isso muitos avanços foram feitos no combate à doença: políticas públicas foram criadas e a população incorporou ao seu dia a dia as práticas para combater o mosquito que transmite a doença. Com as temperaturas mais elevadas e o maior volume de chuvas, o ambiente torna-se perfeito para a propagação do mosquito transmissor da dengue. O vírus da dengue pode ser transmitido pela fêmea do mosquito Aedes Aegypti, um mosquito de hábitos diurnos e que se reproduz em depósitos de água parada. Atualmente, são conhecidos quatro tipos de sorotipos do vírus: 1, 2, 3, 4, podendo, todos causar as variadas formas da doença.

Com base no texto publicado pelo Ministério da Saúde, “Dengue: diagnóstico e manejo clínico – adulto e criança”, em 2014, a dengue é considerada “doença única, dinâmica, de amplo espectro clínico” podendo ou não apresentar sintomas.

No ano de 2020 e ainda em 2021 faz se necessário ter um cuidado redobrado, pois enfrentamos a pandemia da Covid-19 e as duas doenças são causadas por vírus e alguns sintomas podem ser similares.


  • Os sintomas semelhantes entre a Dengue e a Covid-19 são: dor de cabeça, febre, dor no corpo e mal estar. O grande ponto que pode ajudar a diferenciar uma doença da outra são os sintomas respiratórios, como, por exemplo: tosse, falta de ar, coriza, dores no peito, esses são sintomas que não ocorrem na Dengue.


  • A principal diferença entre essas duas infecções virais é o modo de transmissão. A Dengue necessita de um vetor, o mosquito Aedes Aegypti, o qual precisa estar infectado com o vírus para transmitir a doença. O coronavírus é transmitido através de partículas respiratórias (espirros, gotículas de saliva, catarro e outras secreções) de uma pessoa infectada, ou seja, de pessoa a pessoa. Além disso, um fator agravante é que essas partículas virais podem ficar localizadas em superfícies e objetos. O contato com essas partículas pode ocasionar a infecção pelo coronavírus. Enquanto a dengue não é contagiosa entre humanos, logo, não pode ser transmitida de pessoa a pessoa.


Não há um tratamento específico contra o vírus da dengue. Ingerir muito líquido para evitar desidratação e utilizar medicamentos para baixar a febre e analgésicos são as medidas de para aliviar os sintomas. Como também, não há, segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, estudos que comprovem a eficácia de tratamentos para a COVID-19, o que reforça a urgência da continuidade das medidas proteção: lavar as mãos frequentemente com água e sabão ou álcool em gel e cobrir a boca com o antebraço quando tossir ou espirrar. É importante manter-se a pelo menos 1 metro de distância das outras pessoas, mesmo utilizando máscaras de proteção. A nível individual, essas medidas de proteção funcionam inclusive contra as novas variantes identificadas até o momento. Contudo, é necessário reafirmar a veracidade do supracitado, é de extrema importância prevenir-se até que seja seguro para toda sociedade.

Quanto à dengue, cabe salientar ainda, que, atualmente, há uma única vacina disponível no mundo chamada Dengvaxia, produzida por uma multinacional de origem francesa. Indicada para prevenir a dengue causada pelos quatro sorotipos do vírus da dengue (1, 2, 3 e 4), para pessoas de 9 a 45 anos, residentes em áreas endêmicas. Vendida em clínicas particulares e cada pessoa deve receber três doses, com intervalo de seis meses entre elas, e não está disponível no SUS.

Tendo em vista a semelhança entre os sintomas e os fatores de agravamento de paciente por contágio simultâneo entre o vírus da dengue e o SARS-COV é de extrema importância a atenção redobrada da população às medidas de prevenção da dengue. É momento de se conscientizar no sentido do auto cuidado, na eliminação de criadouros de mosquito, usar repelentes, lavagem adequada e correta das mãos, uso de máscara, uso de álcool em gel (70%) e, principalmente, distanciamento social. A pandemia ainda não acabou, mas podemos, juntos, acabar com a dengue!




Links para mais informações sobre a Dengue e a Covid-19:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dengue_diagnostico_manejo_clinico_adulto.pdf

https://coronavirus.saude.gov.br/

https://infectologia.org.br/2020/12/09/atualizacoes-e-recomendacoes-sobre-a-covid-19/



27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo