A Covid-19 e o que não podemos esquecer



Depois de um ano de pandemia, estamos novamente no caos. Hospitais atendendo em sua capacidade máxima, UTIs lotadas, pacientes morrendo a espera de uma intubação… A pandemia não deixou de existir em nenhum período, porém nos meses anteriores ela estourou de forma catastrófica e nos faz voltar a atenção para aquilo que todo mundo acha que já sabe, mas que precisa sempre ser relembrado.


O que é a covid-19?

É uma doença causada por um vírus da família dos coronavírus, o SARS-CoV-2. Apesar dessa família de vírus já existir há um tempo e infectar animais, o vírus da covid-19 que vem infectando humanos pode ser fatal em diversos casos.

Recentemente, foram descobertas inúmeras variantes (ou linhagens) do vírus no nosso país, o que é preocupante, tendo em vista que demanda tempo para entender o comportamento das variantes. Até o momento, o que foi concluído é que algumas têm maior transmissibilidade e se espalham mais rapidamente devido a alta carga viral no corpo de quem se contamina.

Ao que se refere a sintomas, eles podem variar desde um resfriado até uma síndrome gripal que pode envolver queixas como febre, perda de olfato e paladar, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, dificuldade de respirar, podendo culminar em uma pneumonia severa.

Como a doença é transmitida?

A transmissão ocorre por gotículas e aerossóis expelidos por pessoas contaminadas. Esses são liberados ao falar, tossir, espirrar e podem permanecer em diferentes superfícies, se espalhando por nossas roupas e objetos.

Como se prevenir?

Observando a forma de contágio, podemos concluir que a prevenção deve ser feita pelo uso de máscaras, de álcool 70% que pode eliminar o vírus das nossas mãos - lembrando que lavar as mãos com água e sabão é sempre mais eficiente - e, principalmente, pelo distanciamento social. Além disso, são questões importantes:

Não tocar olhos, nariz, boca ou máscara, e caso aconteça, higienize as mãos;

Higienizar os objetos que são muito manuseados, como o celular;

Manter os locais limpos e arejados, sem aglomerações.

Como é feito o tratamento?

São diversas as organizações, tanto nacionais como internacionais (entre elas Órgãos como a Associação Médica Brasileira, Sociedade Brasileira de Infectologia, Organização Mundial da Saúde, ANVISA etc), que posicionam-se contra o uso do tratamento precoce, tendo em vista que nenhum estudo científico comprovou a real eficácia de qualquer medicamento capaz de combater a covid-19. Além disso, esses ainda podem gerar variados efeitos colaterais perigosos. Dessa forma, os fármacos usados no período de infecção têm a função de aliviar os sintomas como febre, dores, tosse, entre outros.


Depois de relembrarmos essas informações importantes que podem passar despercebidas no dia a dia, devemos nos conscientizar mais uma vez e mantermos cada vez mais os cuidados com a intenção de nos proteger e proteger quem temos por perto. Por isso, use máscara, faça distanciamento social e evite aglomerações!!

Não é uma questão individual. Ao arriscar-se, arriscamos muitas outras vidas...






Atualização epidemiológica: Variantes de SARS-CoV-2 nas Américas - 26 de janeiro de 2021 - OPAS/OMS | Organização Pan-Americana da Saúde (paho.org)

Sobre a doença (saude.gov.br)

Coronavírus: como é a transmissão do SARS-CoV-2 por aerossol e fômites? - PEBMED

Atualizacões e recomendações sobre a Covid-19 - SBI (infectologia.org.br)

'Tratamento precoce não diminuirá mortes no Brasil', diz presidente da AMB - Nacional - Estado de Minas


37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo