Dia Mundial de Combate à Asma



Nesta terça-feira (4) comemora-se o Dia Mundial da Asma, organizado pela Global Initiative for Asthma (GINA) e celebrado desde 1998 sempre na primeira terça-feira do mês de maio.


A asma - conhecida também como "bronquite asmática" ou como "bronquite alérgica" - é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, que afeta indivíduos de todas as faixas etárias em todas as partes do mundo, sendo considerada um problema de saúde pública.


O paciente asmático apresenta quadro clínico caracterizado por falta de ar (dispneia), chiado na respiração (sibilos), sensação de aperto no peito e tosse. E apesar de não haver cura para a asma, existe a disponibilidade de tratamento estabelecido por diretrizes que visam o cuidado adequado. No Brasil, o SUS fornece tratamento gratuito desde 2011 aos asmáticos por meio do Programa Farmácia Popular.


Segundo dados da OMS, estima-se que mais de 339 milhões de pessoas tiveram asma em todo o mundo e que houve 417.918 mortes por asma em nível global em 2016. No Brasil, a prevalência de asma é de 20% entre os adolescentes e apenas 12,3% dos asmáticos estão com a doença bem controlada.


Desta forma, o tema proposto para o Dia Mundial da Asma deste ano é “Descobrindo os Equívocos sobre a Asma”. Tal tema fornece um apelo à ação para abordar os mitos e conceitos errôneos amplamente difundidos sobre a asma que impedem as pessoas com asma de desfrutar dos benefícios ideais dos grandes avanços no manejo da doença.


Os equívocos comuns em torno da asma incluem:

  1. A asma é uma doença infantil; os indivíduos vão crescer com a idade.

  2. A asma é infecciosa.

  3. Quem sofre de asma não deve se exercitar.

  4. A asma só é controlável com esteróides em altas doses.

A verdade é:

  1. A asma pode ocorrer em qualquer idade (em crianças, adolescentes, adultos e idosos).

  2. A asma não é infecciosa. No entanto, infecções respiratórias virais (como resfriado comum e gripe) podem causar ataques de asma. Ou em crianças, a asma está frequentemente associada a alergia, mas a asma que começa na idade adulta é menos frequentemente alérgica.

  3. Quando a asma está bem controlada, os asmáticos são capazes de se exercitar e até praticar esportes de primeira linha.

  4. A asma é mais frequentemente controlável com esteróides inalados em baixas doses.


Asma e COVID- 19

Diante da pandemia da COVID-19 ressalta-se, de acordo com especialistas, que pessoas com asma não são mais propensos a adquirir a infecção, no entanto, a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) alerta que as infecções virais são causas frequentes de crises de asma e, por isso, pacientes asmáticos devem ficar em isolamento social sempre que possível, especialmente os portadores das formas mais graves da doença.


No posicionamento oficial sobre o manejo da asma, a SBPT informa que o tratamento deve ser mantido durante a pandemia e recomenda a vacinação do paciente contra a gripe e pneumococo. Ressalta-se, ainda, a importância do médico da família e das equipes de atenção primária para se colocarem à disposição dos pacientes asmáticos para orientação e esclarecimento de suas dúvidas.

Fontes: Respirar

Global Initiative for Asthma (GINA)

Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia



171 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo