Primeiros socorros psicológicos

Diferentes tipos de situações que causam sofrimento acontecem no mundo, tais como guerras, desastres naturais, acidentes, incêndios e violência pessoal (por exemplo, violência sexual). Indivíduos, famílias e comunidades inteiras podem ser afetadas. As pessoas podem perder suas casas ou entes queridos, serem separadas da família ou da comunidade ou podem testemunhar violência, destruição ou morte. Apesar de cada pessoa ser afetada de alguma forma por esses eventos, existe uma grande variedade de reações e sentimentos que cada pessoa pode sentir. Toda pessoa tem forças e habilidades para lidar com os desafios da vida. Entretanto, algumas pessoas são particularmente vulneráveis em situações de crise e podem precisar de mais ajuda, incluindo pessoas que podem estar em risco ou que precisem de apoio adicional em virtude de sua idade (crianças e idosos), em razão de problemas físicos ou mentais ou porque pertencem a grupos que podem ser marginalizados ou alvo de violência.


Em quais situações aplicar?

• Pessoas com ferimentos graves, com risco de vida, que precisam de atendimento médico de emergência

• Pessoas que estão tão psicologicamente abaladas e que não podem cuidar de si mesmas ou de seus filhos

• Pessoas que podem se machucar

• Pessoas que podem ferir os outros


Apesar de as pessoas poderem precisar de ajuda e apoio por muito tempo após uma situação de crise, os PSP estão direcionados a pessoas que foram muito recentemente afetadas por um evento de emergência ou crise. Quando você assume a responsabilidade de oferecer apoio em situações nas quais pessoas foram afetadas por uma situação de crise, é importante atuar de forma a respeitar a segurança, a dignidade e os direitos das pessoas que estão sendo atendidas


Aspectos a serem respeitados

Segurança

» Evite que as suas ações coloquem as pessoas em maior risco ou dano.

» Assegure-se, o máximo possível, de que os adultos e as crianças que recebem a sua assistência estejam seguros e proteja-os de danos físicos e psicológicos.


Dignidade

» Trate as pessoas com respeito e de acordo com suas normas sociais e culturais.


Direitos

» Tenha certeza de que as pessoas possam ter acesso à assistência oferecida de maneira justa e sem discriminação.

» Ajude as pessoas a buscar por direitos e ter acesso ao apoio disponível.

» Aja somente em benefício dos interesses das pessoas que encontrar.


Tenha em mente esses princípios em todas as suas ações e com todas as pessoas que encontrar, independentemente de idade, gênero ou etnia. Avalie o que esses princípios significam a partir de seu contexto cultural.


Como agir?

As situações de crise podem ser caóticas e normalmente necessitam de ações urgentes. No entanto, onde for possível, antes de entrar numa área de crise, tente conseguir informações precisas sobre a situação

• Aprenda sobre o evento de crise;

• Saiba mais sobre os serviços e suportes disponíveis;

• Saiba mais sobre as questões de segurança e proteção.


3 L

LOOK

• Verifique a segurança;

• Verifique se há pessoas com necessidades básicas urgentes óbvias;

• Verifique se há pessoas com reações graves à angústia.


LISTEN

• Abordar pessoas que possam precisar de apoio.

• Pergunte sobre as necessidades e preocupações das pessoas.

• Ouça as pessoas e ajude-as a se sentirem calmas.


LINK

• Ajude as pessoas com suas necessidades básicas e a acessar serviços.

• Dar informação.

• Conecte pessoas com seus entes queridos e apoio social.


As pessoas podem reagir de várias maneiras a uma situação de crise. Alguns exemplos de reações psicológicas a uma crise:

» sintomas físicos (tremores, dores de cabeça, cansaço intenso, perda de apetite, dores)

» choro, tristeza, humor deprimido, pesar » ansiedade, medo

» ficar “na defensiva” ou “agitado”

» preocupação de que algo muito ruim irá acontecer

» insônia, pesadelos

» irritabilidade, raiva

» culpa, vergonha

» confusão mental, desorientação (por exemplo, não saber o próprio nome, de onde é ou o que aconteceu)

» não responder às pessoas, ficar calada


A maioria das pessoas se recupera bem com o passar do tempo, especialmente se tiveram as necessidades básicas resgatadas e receberam ajuda, tais como apoio daqueles que os cercam e/ou PSP, no entanto, a maior preocupação do ponto de vista psiquiátrico é evitar o TEPT (transtorno do estresse pós-traumático)


Finalizando o Apoio

Quando e como finalizar o seu apoio dependerá do contexto da crise, do seu papel e da situação, bem como das necessidades das pessoas que você está ajudando. Se você tiver encaminhado alguém a outros serviços, informe sobre quais devem ser as expectativas acerca dos serviços e certifique-se de que elas têm os detalhes para poder dar continuidade. Independentemente de como a sua experiência tiver sido com a pessoa, você pode se despedir de forma positiva, desejando-lhe o melhor.

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo