SUICÍDIO ENTRE ESTUDANTES DE MEDICINA: seria um grito de socorro?


Recentemente, diversos casos de suicídio entre estudantes de medicina foram noticiados pela imprensa e despertaram o interesse do público. Muito indaga-se sobre as causas que justificariam esses suicídios e se, realmente, médicos, estudantes de medicina e residentes, têm taxas de suicídio superiores à população em geral.


Os episódios atuais, chamam a atenção para uma situação que parece se repetir nos cursos de medicina em todo o mundo e exige uma resposta imediata por parte das universidades e das famílias. É inegável que a graduação exige um aprendizado intenso em um curto período de tempo; dessa forma, as consequências afetam de modo importante a qualidade de vida dos estudantes.


A exigência do currículo e a atmosfera de alta pressão, são os fatores de maior desgaste para a saúde mental. Além do mais, as maiores dificuldades se concentram a partir da metade do curso, fase onde os problemas são agravados.


O desempenho acadêmico é apontado como uma das principais causas para depressão e suicídio entre estudantes do curso de medicina. Pois estudantes com um traço de personalidade mais perfeccionista têm uma tendência a serem alunos extremamente dedicados e intolerantes ao erro. E muitas vezes, dedicam muito tempo e energia com os estudos e acabam abdicando de outras áreas da vida igualmente importantes.


Fato esse, que culmina em frustrações frequentes, ansiedade, bem como a falta de tempo para a família. Podendo, desse modo, gerar gatilhos para o surgimento de um quadro de doença psiquiátrica.


A vida inteira somos cobrados para não errar e não se mostrar frágil.


Ora! Se não podemos errar e tampouco nos mostrar frágeis, então também não buscaremos auxílio.


Ademais, ao percebermos que a concepção de profissional perfeito, com erro zero, é impossível, podem surgir pensamentos dicotômicos.


Se eu não for perfeito, quer dizer que eu serei um péssimo médico


Essa visão negativa em relação ao futuro profissional acaba contribuindo para o aumento dos casos de suicídio entre estudantes de medicina.


Cabe ressaltar que outro fator importante é o ambiente acadêmico. Ao invés de haver cooperação, há uma disputa para estar em uma posição superior a do outro. Logo, a mistura destes fatores colaboram para que este estudante adoeça e possa vir a realizar atos extremos.


Neste contexto, urge que as faculdades de medicina forneçam apoio e intervenções necessárias, visando à promoção de maior bem-estar dos seus alunos.

Fonte: https://www.uniad.org.br/noticias/saude/risco-de-suicidio-entre-alunos-de-medicina-exige-cuidados/






195 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo